sexta-feira, 13 de abril de 2018

Previsão do tempo há um ano atrás

De acordo com as memórias do Facebook, por estes dias, mas há um ano atrás, parece que estava Sol, calor e já puxava à bela da imperial, ao tremoço e, melhor ainda, à bela da perna de fora a pedalar.
Pois tenho a dizer que nestes dias cinzentos, de chuva e frio, só me ocorre dizer que andar com as pernas de fora, mesmo sendo só do joelho para baixo, nem pensar!!! 
E pedalar, ainda menos porque ando com uma espécie de constipação, da qual advém uma quantia de ranho e tosse consideráveis, basta ver a quantidade de lenços de papel que já gastei, e o frio parece ser ainda mais cortante nestas condições.
Não há condições...
Quando é que chega o bom tempo para podermos voltar a pedalar como nesta fotografia?...

Sexta-feira, 13

Enquanto vou lá fora tratar da cadela, a porta de casa fecha-se, estando a chave do lado de dentro...
De repente vejo-me na necessidade de saltar o muro de casa porque, "vá lá", uma das janelas estava aberta...
Senti-me uma espécie de agente secreta ou de assaltante a assaltar a minha própria casa.
Saltei o muro, empurrei os estores, sento-me no parapeito da janela, dou um impulso, rodo as pernas e eis-me a saltar para dentro de casa...
E se não tivesse a janela aberta...?
Ora bem, não faço ideia do que faria porque não tinha comigo a chave de casa, do carro ou o telemóvel, carteira, and so on...
Há dias de sorte no meio do azar.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Memórias sem filtros mesmo sabendo que isto não interessa a ninguém

Faz hoje 5 anos que fui operada ao ombro depois da queda brutal de bicicleta que tinha tido uma semana e uns dias antes.
Bem sei que isto não interessa a ninguém mas acontece que hoje está de chuva, está frio e o dia está cinzento pelo que não sei o que escrever e assim fica um registo para memória futura.


Aqui está a super placa com o meu nome e que tinha a data de entrada no Hospital. Falta o ano mas foi em 2013.



Aqui está um dos lanches dados antes de dormir, era uma espécie de ceia e por muito simples que fosse, sabia-me sempre pela vida...



O que via das janelas do edifício onde fiquei internada.



Nos dias de internamento, andei a pôr a leitura em dia, para me distrair e para ver se o tempo passava mais depressa.



Mais uma das vistas que via enquanto deambulava numa espécie de 'passeio' pelo Hospital.



Este cartão foi-me dado por uma boa amiga, aliás, para além da minha família, ela e a sua família, foram as únicas pessoas que me foram visitar ao Hospital.



Mais uma das vistas e um pombo que andava por ali.



Mais leituras e aqui na própria da cama do Hospital.


quarta-feira, 11 de abril de 2018

Bela maneira de começar o dia, até porque lá fora, chovia... *

Na Páscoa fomos até à capital, rumo à casa da avó.
Deu para matar saudades, dar umas voltas e... comer muito...
No regresso para casa, quase a entrar na A8, tive uma ideia, não sei se luminosa, que foi a de levar o filhote ao IKEA, porque nunca calhou a lá ter ido.
E vai daí que desviei a rota e rumámos ao IKEA...
Não é que um local gigantesco de compras seja o sítio mais indicado para levar um pré adolescente de 11, quase 12 anos, mas lá fomos.
Imaginei que o filhote desataria a "bufar" ou a ficar enjoado por percorrer tantos espaços, grandes e de 'bugigangas' mas afinal não é que até gostou?
Lá foi ele com a folhinha e o lápis do IKEA mas na verdade eu só ia comprar velas perfumadas. Acontece que me lembrei que as canecas já não estavam em grande estado e lá vieram canecas e pratos de sobremesa a combinar.
Por fim, fomos comer qualquer coisa e como se não tivéssemos comido muito no próprio dia e nos anteriores, o filhote quis um cachorro e eu um café, com um bolo que estava morno, era suave e sabia a canela.
Depois disto tudo, lá regressámos ao Oeste.

Hoje de manhã, ao beber o chá, na etiqueta dizia: "Good Day Sunshine", o que foi uma bela maneira de começar o dia, até porque lá fora, chovia.




Bela maneira de começar o dia, até porque lá fora, chovia...



* Post SEM o patrocínio do IKEA.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Cenas que me fecundam as moléculas cerebrais @gym

Cenas que me deixam a pensar mas que não deviam, pois já ando há muitos anos no ginásio para ainda ficar admirada com algumas coisas.
Confesso que estas últimas me deixaram realmente admirada, pois num curto espaço de tempo apercebi-me de duas pessoas diferentes no balneário, depois do treino, que... não tomaram banho.
OK, há pessoas que não tomam banho no ginásio, vão lá treinar e depois vão embora para casa mas, por norma, essas entram e saem com a mesma roupa, com ar de quem vai para casa.
Nestes 'casos' a que me refiro, as pessoas estavam a treinar e depois no balneário vestiram outra roupa, como se fossem trabalhar a seguir.
Para além de se vestirem com ar de quem ia trabalhar, perderam imenso tempo com o que estava à vista: a maquilhagem na cara e o cabelo.
Eu não sou moralista ou tenho a mania das limpezas ou da higiene extrema mas... acho deveras estranho treinar, transpirar, e vestir outra roupa como se nada fosse e perder "horas" com as aparências: a maquilhagem e o cabelo.
A outra cena que me continua a causar surpresa e espanto, e nem sei porquê tendo em conta a minha vasta experiência em aulas de cycling, é a malta que vai para as aulas com potentes sapatos de encaixe e/ou equipamentos de equipas de BTT ou de ciclismo.
Ou às vezes 'acumulam'.
Levam os sapatos e os equipamentos, e depois, na maioria dos casos, não pedalam uma para a caixa, ou melhor, nem quinze minutos passaram desde o início da aula e é vê-los pelo espelho quase a morrer e a quase não pedalar.
Só me ocorre dizer que é só 'show off'...
As pessoas que conheço que pedalam à séria, na sua maioria vão para as aulas de cycling de t-shirts e com um ar descontraído...
Vá, eu própria pedalo muito mais e ali estou eu com uma blusa anti transpirante da Decathlon, uns leggings pelo joelho da Nike que comprei algures numa promoção de 50% para cima, e uns ténis que têm uns 5 anos, que custaram os olhos da cara, mas que nunca pisaram a rua e estão ali para as curvas.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Oh, faz lembrar os anos 80 mas foi feita recentemente...
Lembra a Lena d' Água misturada com a Cindy Lauper. Não que gostasse muito, ou pouco, da Lena d' Água...
E é da série 1986, belos tempos...





O sonho vulgar
De um futuro invulgar
De olhos fixos no tecto

De um quarto secreto
A arrumar as estrelas
Em mapas e tabelas
Como se alguém pudesse contê-las
Vamos conquistando o nosso canto no Espaço
Nada de novo debaixo do céu
No vaivém de um gesto
Na incerteza de um abraço
A não ser tu

Pensamos no futuro, amanhã

Vamos conquistando o nosso porto seguro

Andas a ver os quintos na outra banda

O noss' universo para lá do muro

Pensamos no futuro, amanhã

A não ser tu

A não ser eu

Pensamos no futuro, amanhã

Nada de novo no ecrã

Nada de novo debaixo do céu

A não ser tu

A não ser eu
Pensamos no futuro, amanhã
Nada de novo no ecrã

A não ser eu

Pensamos no futuro, amanhã

Nada de novo no ecrã

Pensamos no futuro, amanhã

Pensamos no futuro, amanhã

(Pensamos no futuro, amanhã)

(Pensamos no futuro, amanhã)

Pensamos no futuro, amanhã

(Pensamos no futuro, amanhã)

Pensamos no futuro, amanhã
A não ser eu
Nada de novo no ecrã
Pensamos no futuro, amanhã
Mas é agora que se torce o futuro
Tens a vida toda p'la frente

Diz tod' a gente
Vamos conquistando o nosso porto seguro

Metido no escuro
Andas a ver os quintos na outra banda
O noss' universo para lá do muro

Diz quem pode, diz quem manda
Pensamos no futuro, amanhã

 Nada de novo debaixo do céu
A não ser tu
A não ser eu
Pensamos no futuro, amanhã
Nada de novo no ecrã
Nada de novo debaixo do céu
A não ser tu
A não ser eu
Pensamos no futuro, amanhã
Nada de novo no ecrã
Pensamos no futuro, amanhã

(Pensamos no futuro, amanhã)
Pensamos no futuro, amanhã
(Pensamos no futuro, amanhã)
(Pensamos no futuro, amanhã)
Pensamos no futuro, amanhã

Pensamos no futuro, amanhã
(Pensamos no futuro, amanhã)

Tomb Raider, mais um filme, desta feita sem pipocas

Bem, desta feita mais um filme e desta vez o filhote também foi connosco.
E vai daí que fomos ver o Tomb Raider mas tenho a dizer que estou em crer que prefiro a Angelina Jolie no papel de Lara Croft... Não sei, não sou gajo, mas... a Angelina tem todo um outro carisma que esta... jovem... não me parece ter...
Ainda assim, acho que a parte de que gostei mais no filme foi a inicial pois a Miss Lara pedala pela cidade e às tantas está metida numa espécie de corrida, ou competição, num género que nunca tinha ouvido falar, que é uma data de malta a pedalar atrás duma pessoa, uma "raposa" - e daí levar uma espécie de cauda de raposa pendurada na bicicleta, que por sua vez leva um balde de tinta que vai marcando o percurso feito.
Claro está que esta "raposa" tem que ser apanhada e ganhará um prémio monetário se ninguém a conseguir apanhar.
Só sei que a rapidez e a destreza da Miss Lara a pedalar pela cidade, contornando obstáculos, saltando para e sobre carros, despistando tudo e todos, fez-me rir porque se fosse eu, era apanhada ao virar da esquina.
Fiquei impressionada e pensei que também gostaria de ser assim, ágil e ultra rápida a pedalar... Enfim...
Já o resto do filme... Foi engraçado mas... nada que não se tenha visto antes ou esperado dum filme como este.
Estas gajas do cinema pá, sempre mega e ultra magras, e já quase todas com idade para serem minhas quase filhas...
Sinto-me a ficar mas é velha e a... ganhar peso...
:-(
Ah, e desta vez nem pipocas comi...








Let's look at the Trailer...